Enviado por cgmi em qua, 06/01/2016 - 15:27

Mulheres realizam plenária em defesa da democracia na 2ª Cnater

“Pra mudar a sociedade do jeito que a gente quer/Só participando sem medo de ser mulher”

Os versos ecoaram forte na plenária de mulheres rurais que acontece na manhã desta terça (31/05), em Brasília durante a 2ª Conferência Nacional de Assistência Técnica e Extensão Rural (2ª Cnater). 350 delegadas de todo o país se reuniram antes da abertura do evento para reafirmarem sua luta por mais políticas públicas e em defesa da democracia.

A indígena Olga Macuxi, representante da União das Mulheres Indígenas da Amazônia e conselheira do Conselho Nacional de Desenvolvimento Rural Sustentável (Condraf), é uma das convidadas. “Nós estamos sentindo nossos direitos retrocederem nesse novo contexto. Somos guerreiras do Brasil e esse espaço é para continuarmos na luta pelos direitos das mulheres rurais”, disse.

A jovem Iridiane Seibert, representante do Movimento de Mulheres Camponesas, acredita que é preciso continuar cobrando políticas específicas de crédito, agroecologia e assistência técnica para elas, porém não se pode esquecer da luta para garantir os dreitos já conquistados. “Temos que trazer nosso protagonismo diante da atual situação política. A 2ª Cnater é esse espaço para reafirmarmos nossa luta”.

A Assistência Técnica e Extensão Rural para Mulheres fortalece a produção, promove a agroecologia e a produção de base ecológica, amplia o acesso às políticas públicas produtivas de comercialização para grupos produtivos e redes de produtoras rurais. 

Texto: Condraf